segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Encontro

Seria desencantador num 1. encontro, alguém apresentar-se para outra pessoa, falando que ronca, que ama cebola, que tem chulé, que acorda de mal humor, que faz campeonato de quem peida e arrota mais alto, que tem TPM, que é estérica, ciumenta, chata, que o cabelo é pichain...

Grrrr! Eu seria a primeira a correr desta pessoa.

Porém o que não sabemos ou que fingimos que não sabemos é, que estamos acostumados a serem "enganados" com as "boas intensões" da "boa propaganda".

Na verdade, todos nós, queremos passar e receber uma boa imagem para impressionar. Isso é bom! Porém, sabemos que, no decorrer dos dias, meses e anos, toda aquela "aparência", vai desfazendo-se com o tempo.

A máscara cai e, você consegue ver de fato como a outra pessoa é.

Toda moeda tem dois lados. A maioria só vê o $$$. No entanto, a diferença, está quando você enxerga o outro lado, que tem um rosto, uma história, uma bagagem de vida.
A essência de vida, não está no que a pessoa faz ou tem, mas por aquilo que ela é, com seus defeitos e qualidades.

2 comentários:

Bruna disse...

hoho...
que post mais realista...é o que acontece na maioria das vezes...

o jeito é falar de suas verdadeiras qualidades, e não ficar inventando... mas vamos combinar...hoje em dia...no primeiro encontro, não se pergunta mais nem o nome... quem sabe no segundo não é mesmo?

p.s.: obrigada pelo comentário, tbm adorei teu post...
beijãooo

iara-alencar disse...

kakakkakkaka
é que queremos ser aceitas ou aceitos a lógica é nos encher de elogios.